Usado da Vez: Chevrolet Tracker

O Tracker continua atraente.

O Tracker continua atraente.

Já está cansado de ter de se contentar com carros comuns maquiados de aventureiros? Se a resposta for um “sim”, então já está na hora de comprar um jipe de verdade. E o Chevrolet Tracker é uma boa altermativa, que combina docilidade urbana com valentia na lama, custando tanto quanto um EcoSport ou uma Palio Weekend Adventure. Essas duas vêm com tração dianteira. O Tracker, por sua vez, possui tração integral. Em outras palavras, não é um jipe de mentirinha.

Lançado no Brasil em fevereiro de 2001, o Tracker, na verdade, é o famoso e saudoso Suzuki Vitara. Como a marca japonesa pertence ao grupo GM, foi só colocar a gravatinha americana para torná-lo em Tracker (se você já foi à Argentina, verá que o oposto também ocorreu, com o nosso Celta, que, lá, chama-se Suzuki Fun). O jipe é valente no fora-de-estrada, devido à sua construção sobre chassi de longarinas e devido à tração 4×4 com reduzida. Na cidade, por outro lado, o Tracker se mostra um digno carro de passeio, sendo macio, confortável e cheio de equipamentos: ar-condicionado, teto solar, direção hidráulica e trio elétrico, tudo de série.

E também é um carro bastante seguro, pois oferta airbag duplo e freios ABS (Anti-lock Brake System) com EBD (Electronic Brake Distribution). O desempenho, por seu turno, não é dos piores, embora as versões anteriores a 2002 virem equipadas com motor diesel Mazda 2.0 de apenas 87 cavalos. O bom torque em baixas rotações (22 mkgf a 2000 rpm) agradava os jipeiros, mas decepcionava os estradeiros. Com a chegada do novo motor diesel 2.0 Peugeot, de 105 cavalos, as marcas de performance do Tracker melhoraram significativamente, fazendo de 0 a 100 km/h em 13 segundos (ante os péssimos 21,7 do motor Mazda).

Com a alta do dólar, o Tracker parou de ser importado em 2004, só voltando ao mercado dois anos depois, em 2006, somente na versão a gasolina. O motor 2.0 16 válvulas gera 128 cavalos e 17,7 mkgf a 4300 rpm. O visual mudou muito pouco: apenas retoques na grade dianteira e nas lanternas traseiras, estas que ficaram num estilo meio “tuning”.

O espaço interno é razoável, melhor que o do Pajero TR4. O acabamento é mediano, com materiais plásticos honestos e bem encaixados. A posição de dirigir mais alta e a leveza da direção fizeram com que muitas mulheres caíssem de amores pelo Tracker.

O único porém do carro é o preço das peças. Por serem importadas, são caras e nunca estão à pronta entrega. Por exemplo, um jogo de pastilhas de freio custa por volta de 500 reais, e um disco, 1200. E, se precisar trocar alguma, será necessário esperar mais do que o comum, até que chegue do exterior.

Seja para encarar buracos e lamaçais, seja para encarar a cruzada que é levar os filhos na escola, o Tracker é um jipe munido de valentia e cordialidade. Uma combinação perfeita e, no entanto, um pouco inútil, já que a maioria de seus proprietários nunca afundará os pneus do jipinho em um lamaçal. Mas é muito bom saber que, se isso ocorrer, o carro não o deixará com o pé na jaca, ou melhor, no barro.

Preços: de R$ 44.500,00 a R$ 61.000,00. Consulte preços detalhados em www.quatrorodas.com.br ou em www.fipe.org.br

Fique de Olho:

Estepe: com o tempo, podem surgir folgas no suporte do pneu sobressalente, causando ruídos, especialmente em veículos que rodaram muito em terrenos irregulares.

Alerta do painel: nos modelos entre 2002 e 2004, há no painel de instrumentos um alerta chamado “Check Engine” (luz amarela). Essa luz pode indicar falta de manutenção, como bico injetor entupido, borra no bloco do motor, sujeira no turbo, carbonização no tubo de junção do escapamento etc.

Câmbio: confira se a manutenção da tração 4×4 está em dia. A negligência e o mau uso podem ampliar o desgaste do platô, do disco e do rolamento. Veja se a embreagem patina ou vibra em excesso.

Suspensão traseira: razão para um recall nos modelos 2003 e 2004, as buchas dos tirantes da suspensão traseira podem perder a rigidez, interferindo na dirigibilidade.

Referências: Revista Quatro Rodas – Março/2008

Anúncios
Comments
3 Responses to “Usado da Vez: Chevrolet Tracker”
  1. DAVID disse:

    Estou pesquisando um carro alto, jipe ou outro SUV, e estou na duvida entre a TR4, Soul e o Tracker.
    Gostaria de saber sobre qual delas tem maior consumo (urbano e estrada), valor do seguro, custos mais comuns de manutenção, IPVA, prós e contras em geral, pra que eu possa ficar satisfeito, ja que nunca tive nenhum desses veiculos, e atualmente possuo um Idea, que considero de excelente acabamento e custo X beneficio.

    Obrigado!!

  2. giordanni lustosa disse:

    estou precisando trocar os rolamentos das rodas dianteiras do meu tracker, a pergunta é a seguinte tem que trocar o cubo ?ou troca apenas o rolamento?.

  3. willian disse:

    ola, gostaria de saber se tem algum outro carro com a mesma polia do virabrequim da tracker, a polia que comanda a correia que gira alternador, ar, bomba dagua???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Licença Creative Commons